QUEM ME SEGUE

SEJA BEM-VINDO AO MEU BLOG

"O Senhor te abençoe e te guarde,
O Senhor sobre ti levante o seu rosto ...
e te dê a Paz."

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Contagem regressiva para 2013

by Elizama Barbosa
 Estamos na dependência de Deus, somente nEle esperamos.

by Elizama Barbosa
Adicionar legenda
 Adeus 2012 e que venha 2013. O que nos aguarda? Que Deus use de misericórdia para conosco.

by Elizama Barbosa
 Agora somos só 6: Mamãe e seus 5 filhinhos, Elane, Angelo, Elizama, Lucinete e Alvino.
by Elane Barbosa
Nossa família completa.
Em 2012 o Senhor chamou o nosso Pai ao descanso eterno (aonde aguarda a primeira ressurreição, é nisto que cremos). Ficou a saudade imensa, mas temos a esperança de nos encontrarmos no céu, de onde nunca mais nos separaremos.

domingo, 30 de dezembro de 2012

O ANO QUE CHEGA

Poema de Mário Barreto França - Extraído de Florilégio Cristão
Mais um ano que chega e outro que passa, Num misto de ventura e de saudade; Suplica-se do céu divina graça E o gozo de servir ao peito invade...
De joelhos em terra, a humanidade espera Do derradeiro instante do ANO VELHO, Há sempre confissões, na mais sincera Vontade de viver para o evangelho.. .
E quando, ao som de um cântico sagrado, Saúda-se o raiar de um ANO NOVO, Sobe a Deus, penitente do pecado E em místico louvor, a alma do povo.
Essa ingênua alegria das crianças Enfeita o coração da gente pobre, Que fica colorido de esperanças E de bondade se ilumina e cobre.
ANO VELHO que vais, boa viagem! ANO NOVO que chegas, sê bem-vindo, Para encher a alma humana de coragem, Para o mundo tornar mais justo e lindo!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O NATAL DA MINHA MÃE

85 Anos de Sabedoria e Paciência

Mamãe eu queria poder te dizer tudo que está aqui na minha mente, mas sei que não conseguirei expressar em palavras o tudo que eu queria te dizer.
Neste 25 de dezembro a Senhora completa mais um ano, e chegar aos 85 anos com a lucidez que a Senhora chega é um privilégio que só a minoria consegue, e nós, seus filhos, somos mais privilegidos ainda, porque temos a melhor Mãe do mundo, e tê-la conosco só nos faz ser mais agradecidos a Deus, porque és o motivo do nosso Natal na terra. Temos motivos de sobra para adorarmos e exaltarmos ao Senhor por tua vida, por tua presença, por tua lucidez, por tuas palavras, por tuas mãos. Sim, tuas mãos, hoje frágeis, foram de vital importância para nossa formação como cidadãos, pois fostes "uma auxiliadora" para o nosso Pai, até o fim. Não olhastes as intempéries, o sol nublado, as nuvens negras, fostes a luta, a fim de oferecer o melhor aos teus filhos. Tua paciência, submissão e sabedoria, na condução do teu lar, servem de exemplo aos teus filhos, netos e aqueles que te cercam, porque inúmeras pessoas te reconhecem como Mãe, como exemplo de pessoa e serva do Senhor Jesus.
Tudo o que eu quero, e peço ao Senhor pra que Ele permita, é poder te oferecer dias melhores, um tempo de refrigério ao teu coração,... porque eu sinto ele tão apertadinho em teu peito, principalmente após a partida do Papai.
Mãe obrigada, por tua mão que provê, por tua oração que sobe ao Trono de Deus, por teu sorriso, por tua bênção, por tudo...
Mãe eu te amo!

domingo, 23 de dezembro de 2012

O REINO DE SALOMÃO PREFIGURA O DO MESSIAS

SALMOS 72

Salmo para Salomão


1 Ó Deus, dá ao rei os teus juízos, e a tua justiça ao filho do rei.
2 Ele julgará ao teu povo com justiça, e aos teus pobres com juízo.
3 Os montes trarão paz ao povo, e os outeiros, justiça.
4 Julgará os aflitos do povo, salvará os filhos do necessitado, e quebrantará o opressor.
5 Temer-te-ão enquanto durarem o sol e a lua, de geração em geração.
6 Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra.
7 Nos seus dias florescerá o justo, e abundância de paz haverá enquanto durar a lua.
8 Dominará de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra.
9 Aqueles que habitam no deserto se inclinarão ante ele, e os seus inimigos lamberão o pó.
10 Os reis de Társis e das ilhas trarão presentes; os reis de Sabá e de Seba oferecerão dons.
11 E todos os reis se prostrarão perante ele; todas as nações o servirão.
12 Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.
13 Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados.
14 Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dele.
15 E viverá, e se lhe dará do ouro de Sabá; e continuamente se fará por ele oração; e todos os dias o bendirão.
16 Haverá um punhado de trigo na terra sobre as cabeças dos montes; o seu fruto se moverá como o Líbano, e os da cidade florescerão como a erva da terra.
17 O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos enquanto o sol durar, e os homens serão abençoados nele; todas as nações lhe chamarão bem-aventurado.
18 Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas.
19 E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém.
20 Aqui acabam as orações de Davi, filho de Jessé.

sábado, 22 de dezembro de 2012

O ETERNO NATAL

Poema de Daria Glaucia, Extraído do Livro Antologia A Poesia do Natal
Organizado por Sammis Reachers

Abro o Livro, vovó, aquele livro
que você lia com ternura infinda,
e na mesma ansiedade de criança,
releio a velha história do Natal...
e lenta, lentamente, vovozinha,
as páginas virando, vou sentindo
de longa antiguidade, muito além,
um perfume sutil, que vem surgindo
das campinas floridas de Belém...
E sobe, pelo ar, suavemente
perdida na distância das alturas,
um murmúrio de vozes, vozes d’anjos
rasgando a espessa paz dessas planuras.
E, do fundo da noite constelada
vejo surgir — doce visão de luz,
a lâmpada de Deus — estrela linda
pra clarear a choça de Jesus!
 

Agora, vovozinha, o livro fecho,
mas vejo o mundo — livro colossal,
as velhas folhas denegridas, sujas
da poeira das guerras e do mal,
por séculos esparsas
como levadas por um vendaval!
Mas eu tenho, vovó, tenho esperança,
com a mesma fé dos tempos infantis,
que o mundo inda será um livro novo,
todinho de gravuras
e paisagens de rútilo matiz.
E trago ao coração uma certeza

que atravessou comigo toda a infância,
pura e sem igual:
— Um dia a divina criança de Belém
pequena se fará mais uma vez,
para caber em cada coração...
E na luz infantil da estrela santa
levaremos n’alma esta alegria,
quais sininhos da noite festival;
e, no mundo de Deus, linda, tão linda,
será eterna festa de Natal!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

PREDIÇÃO DO NASCIMENTO DO MESSIAS

MIQUÉIAS 5

1 Agora ajunta-te em tropas, ó filha de tropas; pôr-se-á cerco contra nós; ferirão com a vara na face ao juiz de Israel.
2 E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.
3 Portanto os entregará até ao tempo em que a que está de parto tiver dado à luz; então o restante de seus irmãos voltará aos filhos de Israel.
4 E ele permanecerá, e apascentará ao povo na força do Senhor, na excelência do nome do Senhor seu Deus; e eles permanecerão, porque agora será engrandecido até aos fins da terra.
5 E este será a nossa paz; quando a Assíria vier à nossa terra, e quando pisar em nossos palácios, levantaremos contra ela sete pastores e oito príncipes dentre os homens.
6 Esses consumirão a terra da Assíria à espada, e a terra de Ninrode nas suas entradas. Assim nos livrará da Assíria, quando vier à nossa terra, e quando calcar os nossos termos.
7 E o remanescente de Jacó estará no meio de muitos povos, como orvalho da parte do Senhor, como chuvisco sobre a erva, que não espera pelo homem, nem aguarda a filhos de homens.
8 E o restante de Jacó estará entre os gentios, no meio de muitos povos, como um leão entre os animais do bosque, como um leãozinho entre os rebanhos de ovelhas, o qual, quando passar, pisará e despedaçará, sem que haja quem as livre.
9 A tua mão se exaltará sobre os teus adversários; e todos os teus inimigos serão exterminados.
10 E sucederá naquele dia, diz o Senhor, que eu exterminarei do meio de ti os teus cavalos, e destruirei os teus carros.
11 E destruirei as cidades da tua terra, e derrubarei todas as tuas fortalezas;
12 E exterminarei as feitiçarias da tua mão; e não terás adivinhadores;
13 E destruirei do meio de ti as tuas imagens de escultura e as tuas estátuas; e tu não te inclinarás mais diante da obra das tuas mãos.
14 E arrancarei os teus bosques do meio de ti; e destruirei as tuas cidades.
15 E com ira e com furor farei vingança sobre os gentios que não ouvem.






Jesus nasceu! Aleluia!

domingo, 16 de dezembro de 2012

NATAL

Poema de Brant Horta
Extraído de Florilégio Cristão

Jesus nasceu!

Num pequeno E humilde leito de feno,
Ei-lo coberto de luz.
É a luz do bem, da humildade,

Que envolve de claridade
O pequenino Jesus.
Natal! Natal! Que alegria!

Pastores em romaria
Vêm aos pés do Redentor.
E os reis Magos, enlevados,
Chegam de longe, guiados Pela estrela do pastor.
Não vem ao mundo num leito
De púrpura e de ouro feito,
Por entre pompas, mas eis
Que nasce pobre, sem manto
Que o envolva, sendo, no entanto,
Maior que todos os reis.
Rebanhos, flores e, em bando,

As aves vão proclamando:
— Cristo acaba de nascer!
Herodes, grande e potente,

Manda matar o inocente,
Mas Jesus tem mais poder.
Nasceu Jesus!

Todo o mundo Vai ver o poder fecundo
Do seu amor sem rival!
Na terra e céus, tudo brilha!
Tudo é luz e maravilha!
E os anjos clamam: — Natal!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Rejeitará o Senhor para sempre e não tornará a ser favorável?

SALMOS 77

1 Clamei a Deus com a minha voz, a Deus levantei a minha voz, e ele inclinou para mim os ouvidos.
2 No dia da minha angústia busquei ao Senhor; a minha mão se estendeu de noite, e não cessava; a minha alma recusava ser consolada.
3 Lembrava-me de Deus, e me perturbei; queixava-me, e o meu espírito desfalecia. (Selá.)
4 Sustentaste os meus olhos acordados; estou tão perturbado que não posso falar.
5 Considerava os dias da antiguidade, os anos dos tempos antigos.
6 De noite chamei à lembrança o meu cântico; meditei em meu coração, e o meu espírito esquadrinhou.
7 Rejeitará o Senhor para sempre e não tornará a ser favorável?
8 Cessou para sempre a sua benignidade? Acabou-se já a promessa de geração em geração?
9 Esqueceu-se Deus de ter misericórdia? Ou encerrou ele as suas misericórdias na sua ira? (Selá.)
10 E eu disse: Isto é enfermidade minha; mas eu me lembrarei dos anos da destra do Altíssimo.
11 Eu me lembrarei das obras do Senhor; certamente que eu me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade.
12 Meditarei também em todas as tuas obras, e falarei dos teus feitos.
13 O teu caminho, ó Deus, está no santuário. Quem é Deus tão grande como o nosso Deus?
14 Tu és o Deus que fazes maravilhas; tu fizeste notória a tua força entre os povos.
15 Com o teu braço remiste o teu povo, os filhos de Jacó e de José. (Selá.)
16 As águas te viram, ó Deus, as águas te viram, e tremeram; os abismos também se abalaram.
17 As nuvens lançaram água, os céus deram um som; as tuas flechas correram duma para outra parte.
18 A voz do teu trovão estava no céu; os relâmpagos iluminaram o mundo; a terra se abalou e tremeu.
19 O teu caminho é no mar, e as tuas veredas nas águas grandes, e os teus passos não são conhecidos.
20 Guiaste o teu povo, como a um rebanho, pela mão de Moisés e de Arão.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

NOITE DE PAZ

Poema de Mário Barreto França 
Extraído do livro A Poesia do Natal Antologia
Organizado Sammis Reachers

Toda a bondade, toda a esperança,
Que anima o velho e exalta a criança
No mesmo ideal,
Vem do teu berço, divino Mestre,
Que marca a nova era terrestre
No teu Natal.


Em qualquer parte do mundo inteiro
Há sempre um templo, sempre um pinheiro,
A anunciar
Que tu nasceste para que o mundo
Tivesse o ensejo grato e fecundo
De se salvar.


Em todo lábio que te agradece
Mais doce é o hino, mais santa é a prece,
Mais pura é a voz,
Pois nesta noite nasces de novo
Para a alegria de todo o povo,
De todos nós...


Ai! Quem me dera, Jesus bendito,
Que todo o mundo cansado e aflito
Quisesse ouvir
O teu apelo de todo o ano,
Para despir-se do ódio humano
E te seguir;
 

Seguir a estrela do teu ensino
Para tornar-se como um menino,
Que te bendiz
Na sua doce e casta alegria,
Na sua ingênua sabedoria
De ser feliz.
 

Que a tua nova, serena e boa,
Encha de graça cada pessoa,
Seja quem for;
Que na amargura mostre um sorriso,
E ache a promessa de um paraíso
No teu amor.
 

Noite de bênçãos feliz e linda,
Que o teu luzeiro rebrilhe ainda,
Rebrilhe mais,
Glorificando a Deus nas alturas,
E unindo todas as criaturas
Na tua paz!

POR CAUSA DA FLOR


Poema de Myrtes Mathias

Perguntaram um dia a um pedaço de argila
que exalava um suave odor:
- De onde te vem este perfume, se és apenas lama?
Ao que ela respondeu, humildemente:
- Morei muito tempo, perto de uma flor.


Por isso quero, tal como Maria,
demorar-me a Teus Pés, meu Salvador,
para mostrar depois, em cada ato,
que entre mim e Ti houve o contato:
como na história da lama e da flor.


Que a lama se desfaça sob a chuva,
ou que do sol se resseque ao calor;
no fundo dalma, onde Tu habitas,
haverá sempre a fragrância bendita:
como na história da lama e da flor.


Em Teu nome farei grandes coisas,
dessas que tornam o mundo melhor.
Se “tudo que é pobre e fraco se parece comigo”,
quero provar-lhes que, estando contigo,
se repete a história da lama e da flor.


E até que o mundo possa Te ver em mim,
como na argila o perfume da flor,
transformarei num hino a minha fraqueza:
feliz argila, pobre e sem beleza,
que por ser tão pequena faz seu Deus maior.


Pois quero, antes de voltar ao céu,
para reintegrar-me em Ti, meu Salvador,
ouvir dos lábios dos que sabem ver:
- Ela não teve um mérito sequer,
foi uma história simples de argila e Flor.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

SÁBIOS CONSELHOS

PROVÉRBIOS 1.8-19,32,33

8 Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe,
9 Porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.
10 Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.
11 Se disserem: Vem conosco a tocaias de sangue; embosquemos o inocente sem motivo;
12 Traguemo-los vivos, como a sepultura; e inteiros, como os que descem à cova;
13 Acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos as nossas casas de despojos;
14 Lança a tua sorte conosco; teremos todos uma só bolsa!
15 Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas;
16 Porque os seus pés correm para o mal, e se apressam a derramar sangue.
17 Na verdade é inútil estender-se a rede ante os olhos de qualquer ave.
18 No entanto estes armam ciladas contra o seu próprio sangue; e espreitam suas próprias vidas.
19 São assim as veredas de todo aquele que usa de cobiça: ela põe a perder a alma dos que a possuem.
32 Porque o erro dos simples os matará, e o desvario dos insensatos os destruirá.
33 Mas o que me der ouvidos habitará em segurança, e estará livre do temor do mal.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

CONFIANÇA

SALMOS 16

1 Guarda-me, ó Deus, porque em ti confio.
2 A minha alma disse ao Senhor: Tu és o meu Senhor, a minha bondade não chega à tua presença,
3 Mas aos santos que estão na terra, e aos ilustres em quem está todo o meu prazer.
4 As dores se multiplicarão àqueles que fazem oferendas a outro deus; eu não oferecerei as suas libações de sangue, nem tomarei os seus nomes nos meus lábios.
5 O Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte.
6 As linhas caem-me em lugares deliciosos: sim, coube-me uma formosa herança.
7 Louvarei ao Senhor que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite.
8 Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei.
9 Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura.
10 Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.
11 Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

SALMOS 119

A EXCELÊNCIA DA LEI DO SENHOR
 

Álef
1 Bem-aventurados os retos em seus caminhos, que andam na lei do SENHOR.
2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração.
3 E não praticam iniqüidade, mas andam nos seus caminhos.
4 Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.
5 Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos.
6 Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.
7 Louvar-te-ei com retidão de coração quando tiver aprendido os teus justos juízos.
8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente.
 

Bet
9 Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
10 Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.
11 Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
12 Bendito és tu, ó SENHOR; ensina-me os teus estatutos.
13 Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.
14 Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas.
15 Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos.
16 Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra. 


Guímel
17 Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra.
18 Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.
19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.
20 A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.
21 Tu repreendeste asperamente os soberbos que são amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos.
22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos.
23 Príncipes também se assentaram, e falaram contra mim, mas o teu servo meditou nos teus estatutos.
24 Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros. 


Dálet
25 A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.
26 Eu te contei os meus caminhos, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.
27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim falarei das tuas maravilhas.
28 A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.
29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei.
30 Escolhi o caminho da verdade; propus-me seguir os teus juízos.
31 Apego-me aos teus testemunhos; ó SENHOR, não me confundas.
32 Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.
 

He
33 Ensina-me, ó SENHOR, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim.
34 Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração.
35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer.
36 Inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à cobiça.
37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.
38 Confirma a tua palavra ao teu servo, que é dedicado ao teu temor.
39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons.
40 Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me na tua justiça.
 

Vav
41 Venham sobre mim também as tuas misericórdias, ó SENHOR, e a tua salvação segundo a tua palavra.
42 Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.
43 E não tires totalmente a palavra de verdade da minha boca, pois tenho esperado nos teus juízos.
44 Assim observarei de contínuo a tua lei para sempre e eternamente.
45 E andarei em liberdade; pois busco os teus preceitos.
46 Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.
47 E recrear-me-ei em teus mandamentos, que tenho amado.
48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amei, e meditarei nos teus estatutos.
 

Záin
49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.
50 Isto é a minha consolação na minha aflição, porque a tua palavra me vivificou.
51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.
52 Lembrei-me dos teus juízos antiqüíssimos, ó SENHOR, e assim me consolei.
53 Grande indignação se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.
54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.
55 Lembrei-me do teu nome, ó SENHOR, de noite, e observei a tua lei.
56 Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos. 


Het
57 O SENHOR é a minha porção; eu disse que observaria as tuas palavras.
58 Roguei deveras o teu favor com todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.
59 Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.
60 Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos.
61 Bandos de ímpios me despojaram, mas eu não me esqueci da tua lei.
62 À meia noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos.
63 Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.
64 A terra, ó SENHOR, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.
 

Tet
65 Fizeste bem ao teu servo, SENHOR, segundo a tua palavra.
66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.
67 Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra.
68 Tu és bom e fazes bem; ensina-me os teus estatutos.
69 Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas eu com todo o meu coração guardarei os teus preceitos.
70 Engrossa-se-lhes o coração como gordura, mas eu me recreio na tua lei.
71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.
72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro ou prata.
 

Iód
73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me inteligência para entender os teus mandamentos.
74 Os que te temem alegraram-se quando me viram, porque tenho esperado na tua palavra.
75 Bem sei eu, ó SENHOR, que os teus juízos são justos, e que segundo a tua fidelidade me afligiste.
76 Sirva pois a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.
77 Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia.
78 Confundam-se os soberbos, pois me trataram duma maneira perversa, sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.
79 Voltem-se para mim os que te temem, e aqueles que têm conhecido os teus testemunhos.
80 Seja reto o meu coração nos teus estatutos, para que não seja confundido.
 

Cáf
81 Desfalece a minha alma pela tua salvação, mas espero na tua palavra.
82 Os meus olhos desfalecem pela tua palavra; entrementes dizia: Quando me consolarás tu?
83 Pois estou como odre na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos.
84 Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem?
85 Os soberbos me cavaram covas, o que não é conforme a tua lei.
86 Todos os teus mandamentos são verdade. Com mentiras me perseguem; ajuda-me.
87 Quase que me têm consumido sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.
88 Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim guardarei o testemunho da tua boca.
 

Lámed
89 Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu.
90 A tua fidelidade dura de geração em geração; tu firmaste a terra, e ela permanece firme.
91 Eles continuam até ao dia de hoje, segundo as tuas ordenações; porque todos são teus servos.
92 Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que pereceria na minha aflição.
93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado.
94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.
95 Os ímpios me esperam para me destruírem, mas eu considerarei os teus testemunhos.
96 Tenho visto fim a toda a perfeição, mas o teu mandamento é amplíssimo.
 

Mem
97 Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia.
98 Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo.
99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.
100 Entendo mais do que os antigos; porque guardo os teus preceitos.
101 Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra.
102 Não me apartei dos teus juízos, pois tu me ensinaste.
103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca.
104 Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho.
 

Nun
105 Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.
106 Jurei, e o cumprirei, que guardarei os teus justos juízos.
107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua palavra.
108 Aceita, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, ó SENHOR; ensina-me os teus juízos.
109 A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia não me esqueço da tua lei.
110 Os ímpios me armaram laço; contudo não me desviei dos teus preceitos.
111 Os teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre, pois são o gozo do meu coração.
112 Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.
 

Sámech
113 Odeio os pensamentos vãos, mas amo a tua lei.
114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.
115 Apartai-vos de mim, malfeitores, pois guardarei os mandamentos do meu Deus.
116 Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança.
117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.
118 Tu tens pisado aos pés todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o engano deles é falsidade.
119 Tu tiraste da terra todos os ímpios, como a escória, por isso amo os teus testemunhos.
120 O meu corpo se arrepiou com temor de ti, e temi os teus juízos. 


Aín
121 Fiz juízo e justiça; não me entregues aos meus opressores.
122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam.
123 Os meus olhos desfaleceram pela tua salvação e pela promessa da tua justiça.
124 Usa com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.
125 Sou teu servo; dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos.
126 Já é tempo de operares, ó SENHOR, pois eles têm quebrantado a tua lei.
127 Por isso amo os teus mandamentos mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino.
128 Por isso estimo todos os teus preceitos acerca de tudo, como retos, e odeio toda falsa vereda.
 

Pe
129 Maravilhosos são os teus testemunhos; portanto, a minha alma os guarda.
130 A entrada das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.
131 Abri a minha boca, e respirei, pois que desejei os teus mandamentos.
132 Olha para mim, e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome.
133 Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniqüidade alguma.
134 Livra-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.
135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.
136 Rios de águas correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei. 


Tsádi
137 Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos.
138 Os teus testemunhos que ordenaste são retos e muito fiéis.
139 O meu zelo me consumiu, porque os meus inimigos se esqueceram da tua palavra.
140 A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama.
141 Pequeno sou e desprezado, porém não me esqueço dos teus mandamentos.
142 A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade.
143 Aflição e angústia se apoderam de mim; contudo os teus mandamentos são o meu prazer.
144 A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei. 


Cof
145 Clamei de todo o meu coração; escuta-me, SENHOR, e guardarei os teus estatutos.
146 A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos.
147 Antecipei o cair da noite, e clamei; esperei na tua palavra.
148 Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na tua palavra.
149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó SENHOR, segundo o teu juízo.
150 Aproximam-se os que se dão a maus tratos; afastam-se da tua lei.
151 Tu estás perto, ó SENHOR, e todos os teus mandamentos são a verdade.
152 Acerca dos teus testemunhos soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre. 


Reish
153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueci da tua lei.
154 Pleiteia a minha causa, e livra-me; vivifica-me segundo a tua palavra.
155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.
156 Muitas são, ó SENHOR, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.
157 Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos.
158 Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra.
159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua benignidade.
160 A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.
 

Shin
161 Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra.
162 Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo.
163 Abomino e odeio a mentira; mas amo a tua lei.
164 Sete vezes no dia te louvo pelos juízos da tua justiça.
165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.
166 SENHOR, tenho esperado na tua salvação, e tenho cumprido os teus mandamentos.
167 A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os excessivamente.
168 Tenho observado os teus preceitos, e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti.
 

Tav
169 Chegue a ti o meu clamor, ó SENHOR; dá-me entendimento conforme a tua palavra.
170 Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua palavra.
171 Os meus lábios proferiram o louvor, quando me ensinaste os teus estatutos.
172 A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça.
173 Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos.
174 Tenho desejado a tua salvação, ó SENHOR; a tua lei é todo o meu prazer.
175 Viva a minha alma, e louvar-te-á; ajudem-me os teus juízos.
176 Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A CURA DE UM ENFERMO NO TANQUE DE BETESDA

JOÃO 5
 

Tanque de Betesda
1 Depois disto havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.
2 Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres.
3 Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água.
4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.
5 E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo.
6 E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?
7 O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim.
8 Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda.
9 Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado.
10 Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: É sábado, não te é lícito levar o leito.
11 Ele respondeu-lhes: Aquele que me curou, ele próprio disse: Toma o teu leito, e anda.
12 Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito, e anda?
13 E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão.
14 Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior.
15 E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara.
16 E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado.
17 E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.
18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.
19 Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.
20 Porque o Pai ama o Filho, e mostra-lhe tudo o que faz; e ele lhe mostrará maiores obras do que estas, para que vos maravilheis.
21 Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer.
22 E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;
23 Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou.
24 Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.
25 Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.
26 Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo;
27 E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem.
28 Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.
29 E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.
30 Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma. Como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou.
31 Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.
32 Há outro que testifica de mim, e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.
33 Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade.
34 Eu, porém, não recebo testemunho de homem; mas digo isto, para que vos salveis.
35 Ele era a candeia que ardia e alumiava, e vós quisestes alegrar-vos por um pouco de tempo com a sua luz.
36 Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim, que o Pai me enviou.
37 E o Pai, que me enviou, ele mesmo testificou de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer.
38 E a sua palavra não permanece em vós, porque naquele que ele enviou não credes vós.
39 Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;
40 E não quereis vir a mim para terdes vida.
41 Eu não recebo glória dos homens;
42 Mas bem vos conheço, que não tendes em vós o amor de Deus.
43 Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis.
44 Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?
45 Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais.
46 Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele.
47 Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

DAVI LOUVA A DEUS PELA VITÓRIA

SALMOS 21

1 O rei se alegra em tua força, Senhor; e na tua salvação grandemente se regozija.
2 Cumpriste-lhe o desejo do seu coração, e não negaste as súplicas dos seus lábios. (Selá.)
3 Pois vais ao seu encontro com as bênçãos de bondade; pões na sua cabeça uma coroa de ouro fino.
4 Vida te pediu, e lha deste, mesmo longura de dias para sempre e eternamente.
5 Grande é a sua glória pela tua salvação; glória e majestade puseste sobre ele.
6 Pois o abençoaste para sempre; tu o enches de gozo com a tua face.
7 Porque o rei confia no Senhor, e pela misericórdia do Altíssimo nunca vacilará.
8 A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua mão direita alcançará aqueles que te odeiam.
9 Tu os farás como um forno de fogo no tempo da tua ira; o Senhor os devorará na sua indignação, e o fogo os consumirá.
10 Seu fruto destruirás da terra, e a sua semente dentre os filhos dos homens.
11 Porque intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão.
12 Assim que tu lhes farás voltar as costas; e com tuas flechas postas nas cordas lhes apontarás ao rosto.
13 Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

A BÍBLIA



Extraído de Florilégio Cristão



És dos livros, um dos mais antigos, majestoso,
Elevando povos na compostura e na nobreza.
Logo, tudo se nos mostra mui sagrado, precioso.
Livro, tens como teu autor o Deus da Natureza.

Séculos, trevas, falsa luz, tudo vences glorioso,
Revelando a cada povo morto, com fraqueza,
A Verdadeira Vida, que só vem do Deus bondoso,
Para quem pratica o bem e odeia a torpeza.

Dizes mal: Aqui é o lugar; hoje é tempo do perdão,
Que do Novo Testamento é a nobre e rica herança.
E, como provas disso, dá-nos forças para a retidão.
Logo, neste Livro é que a minha alma descansa,
Liberta das coisas torpes, da sua antiga corrução,
Bíblia, do universo todo, és a única esperança!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

AS MÃOS DE CRISTO


De: Florilégio Cristão

Mãos de Cristo,
Mãos divinas de Carpinteiro...
Não imagino aquelas mãos
Forjando lanças, forjando espadas
Nem desenhando novo modelo de bombardeiro;
Aquelas mãos, as mãos de Cristo,
Foram as mãos de um Carpinteiro.
Mãos de Cristo, calejadas,
Lavrando cunhas,
Fazendo arados, lavrando a vida...
Não imagino aquelas mãos
Entretidas entre canhões,
Entre explosivos e entre granadas;
Aquelas mãos calejadas
Calejaram lavrando a vida.
Mãos de Cristo,
Mãos divinas de Carpinteiro...
Não imagino aquelas mãos
Brutalizando o labor humano,
Mas forjando a criação;
Aquelas mãos, mãos de obreiro
Edificando continuamente.
Entre as mãos febricitantes
Que fazem cruzadores e bombardeiros
Não estão as suas!...
As suas levam os sinais dos cravos,
Mãos heróicas de sacrifício;
Aquelas mãos, mãos feridas,
Fortes nervuras, mãos de aço,
São rijas mãos de Carpinteiro
Que quietamente modelam a vida!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

ELIZAMA... EU JÁ QUERO IR PRA O CÉU.

FILIPENSES 3

1 Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.
2 Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão;
3 Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.
4 Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu:
5 Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu;
6 Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.
7 Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
8 E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,
9 E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;
10 Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte;
11 Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.
12 Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.
13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
14 Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.


Nota: Este foi o penúltimo texto bíblico lido na presença de meu pai, em nosso culto doméstico, que realizamos todas as noites em nossa casa. Enquanto lia, eu olhava pra ele, debilitado em sua cadeira de rodas, sendo que devido ao frio do ar condicionado (em Manaus enfrentamos altas temperaturas), eu e minha irmã Elane, o amarramos com um lençol, que enquanto aquecia do frio, segurava para que não caísse; contudo ele estava prestando atenção a leitura da Palavra de Deus. Quando terminei a leitura, ele me chamou: - Elizama, e eu respondo: - Senhor Pai. E ele me diz: - vem me buscar minha filha. Eu pergunto: - o Senhor quer vir pra cá, pra mais perto da gente? Então ele me responde: não, minha filha, eu já quero ir pra o céu. Fiquei sem resposta.
Nós jamais imaginávamos que isto aconteceria logo, na manhã de sábado (25/08/2012). Meu Pai sabia que logo ele estaria descansando do labor desta vida, que ele estaria de mudança pra o outro lado: o céu. Quando oramos com ele, na quinta-feira, percebemos que havia algo errado, sentimos que ele estava pronto para sua chamada, porque Deus se fez presente de maneira singular mesmo na simplicidade da nossa casa, daquela rede onde ele estava deitado, nós sentimos a Sua gloriosa e majestosa presença.

sábado, 8 de setembro de 2012

ELIFAZ EXORTA JÓ A QUE BUSQUE A DEUS

JÓ 5

1 Chama agora; há alguém que te responda? E para qual dos santos te virarás?
2 Porque a ira destrói o louco; e o zelo mata o tolo.
3 Bem vi eu o louco lançar raízes; porém logo amaldiçoei a sua habitação.
4 Seus filhos estão longe da salvação; e são despedaçados às portas, e não há quem os livre.
5 A sua messe, o faminto a devora, e até dentre os espinhos a tira; e o salteador traga a sua fazenda.
6 Porque do pó não procede a aflição, nem da terra brota o trabalho.
7 Mas o homem nasce para a tribulação, como as faíscas se levantam para voar.
8 Porém eu buscaria a Deus; e a ele entregaria a minha causa.
9 Ele faz coisas grandes e inescrutáveis, e maravilhas sem número.
10 Ele dá a chuva sobre a terra, e envia águas sobre os campos.
11 Para pôr aos abatidos num lugar alto; e para que os enlutados se exaltem na salvação.
12 Ele aniquila as imaginações dos astutos, para que as suas mãos não possam levar coisa alguma a efeito.
13 Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e o conselho dos perversos se precipita.
14 Eles de dia encontram as trevas; e ao meio dia andam às apalpadelas como de noite.
15 Porém ao necessitado livra da espada, e da boca deles, e da mão do forte.
16 Assim há esperança para o pobre; e a iniqüidade tapa a sua boca.
17 Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso.
18 Porque ele faz a chaga, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam.
19 Em seis angústias te livrará; e na sétima o mal não te tocará.
20 Na fome te livrará da morte; e na guerra, da violência da espada.
21 Do açoite da língua estarás encoberto; e não temerás a assolação, quando vier.
22 Da assolação e da fome te rirás, e os animais da terra não temerás.
23 Porque até com as pedras do campo terás o teu acordo, e as feras do campo serão pacíficas contigo.
24 E saberás que a tua tenda está em paz; e visitarás a tua habitação, e não pecarás.
25 Também saberás que se multiplicará a tua descendência e a tua posteridade como a erva da terra,
26 Na velhice irás à sepultura, como se recolhe o feixe de trigo a seu tempo.
27 Eis que isto já o havemos inquirido, e assim é; ouve-o, e medita nisso para teu bem.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Há Momentos

Clarice Lispector

"Há momentos na vida em que sentimos tanto

a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la"
.


Com saudades do meu Paizinho.

domingo, 26 de agosto de 2012

TRIBUTO AO MEU PAI


* 03/08/1926 
25/08/2012

No dia 25/08/2012  foi acrescentado ao batalhão dos céus mais um soldado e servo, David Malaquias da Silva, aos 86 anos, completados no dia 03/08/2012.
Nascido em berço evangélico, somente em 1963 ele decidiu-se por servir fielmente ao Senhor. Casou-se em 27/07/1947 com sua Mári, sua eterna namorada Maria Barbosa da Silva, e desta união nasceram: Lizete (in memorian), Angelo Neto, Alvino, Lucinete, Elizama e Elane. Acrescentou-se à família, os Genros: Ari Monteiro e Pastor Nasson Câmara, as noras: Maria do Socorro e Irene Ferreira, advindo os netos: Tharlem, Marisangela, Marcos Fábio, Kézia, Angelo David, Jônatas, Jesua, Rebbeka e Lynara; e os bisnetos: Felipe, Mathaus, Jéssika, Débora, Angelo David Junior e David Kendi.
 Tombou um justo servo do Senhor, "que combateu o bom combate e acabou a carreira", que durante 9 anos, 3 meses e 22 dias esteve paraplégico, totalmente dependente de sua família, destacando-se neste labor, sua filha Elane Barbosa que esmerava-se em cuidar com zelo, amor, dedicação; ele nunca murmurava, e quando alguém perguntava: "tudo bem irmão David? Ele respondia: "não tá melhor porque não ando". Durante esse tempo, sempre lúcido, contava histórias, estórias, conversava, lembrava da sua infância vivida em Manaus, no Beco do Macêdo, onde seu pai possuia uma vacaria, lembrava dos pastores José Estumano de Moraes, um dos pioneiros da obra de Deus no Estado do Amazonas. Ele tinha muito tempo pra lembrar, sentado em sua cadeira de rodas junto à mesa da sala de jantar. Nos nossos cultos, todas as noites, sua voz forte ecoava  acompanhando os louvores da Harpa Cristã. Sem saber ler tinha uma memória privilegiada. Sua passagem ao reino celestial ocorreu no seio do nosso lar, junto da sua família e estavam presentes os pastores: Gideão Fernandes Menezes, Nasson Câmara, Lúcio Granjeiro e Aguinaldo Barbosa.

Agradecemos a liderança da Igreja Assembléia de Deus Tradicional em Manaus, em especial ao Pastor Presidente Gideão Fernandes Menezes, pela honra prestada ao meu pai, David Malaquias da Silva, neste momento tão difícil, humanamente falando. Meu pai recebeu as honrarias de um príncipe.
A nós que ficamos saudosos, sua esposa, filhos, netos e bisnetos, irmãos e amigos, resta-nos seguir o exemplo de homem que ele deixou, honesto, íntegro, justo e servo do Senhor, porque ele podia dizer como Josué: "eu e minha casa serviremos ao Senhor".
Até breve meu príncipe.

sábado, 11 de agosto de 2012

Mensagem edificante para Alma: Igreja intercede e boxeadora é medalha de ouro nas...

Mensagem edificante para Alma: Igreja intercede e boxeadora é medalha de ouro nas...: "Estou aqui por causa da graça de Deus", disse ela aos jornalistas A pugilista irlandesa Katie Taylor ficou com a medalha de ouro no...

SALMOS 29

1 Dai ao Senhor, ó filhos dos poderosos, dai ao Senhor glória e força.
2 Dai ao
Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade.
3 A voz do
Senhor ouve-se sobre as suas águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.
4 A voz do
Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.
5 A voz do
Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano.
6 Ele os faz saltar como um bezerro; ao Líbano e Siriom, como filhotes de bois selvagens.
7 A voz do
Senhor separa as labaredas do fogo.
8 A voz do
Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.
9 A voz do
Senhor faz parir as cervas, e descobre as brenhas; e no seu templo cada um fala da sua glória.
10 O
Senhor se assentou sobre o dilúvio; o Senhor se assenta como Rei, perpetuamente.
11 O
Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Pastor Edson Alves da Silva é Homenageado em Manaus

 Pastores: Gideão Fernandes Menezes, Edson Alves, Virgínio de Carvalho, Presidente da AD Sergipe e Vereador Dr. Gomes, o responsável pela justa homenagem prestada pela Câmara Municipal de Manaus ao Pastor da Assembleia de Deus Tradicional em Manaus-AM.

Pastor Edson Alves e esposa Zilda Viana da Silva

 Pastor Edson e Família.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

sexta-feira, 6 de julho de 2012

DAVI PEDE A DEUS QUE O PROTEJA DOS SEUS INIMIGOS

SALMOS 17

1 Ouve, Senhor, a justiça; atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não é feita com lábios enganosos.
2 Saia a minha sentença de diante do teu rosto; atendam os teus olhos à razão.
3 Provaste o meu coração; visitaste-me de noite; examinaste-me, e nada achaste; propus que a minha boca não transgredirá.
4 Quanto ao trato dos homens, pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor.
5 Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem.
6 Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as minhas palavras.
7 Faze maravilhosas as tuas beneficências, ó tu que livras aqueles que em ti confiam dos que se levantam contra a tua destra.
8 Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas,
9 Dos ímpios que me oprimem, dos meus inimigos mortais que me andam cercando.
10 Na sua gordura se encerram, com a boca falam soberbamente.
11 Têm-nos cercado agora nossos passos; e baixaram os seus olhos para a terra;
12 Parecem-se com o leão que deseja arrebatar a sua presa, e com o leãozinho que se põe em esconderijos.
13 Levanta-te, Senhor, detém-no, derriba-o, livra a minha alma do ímpio, com a tua espada;
14 Dos homens com a tua mão, Senhor, dos homens do mundo, cuja porção está nesta vida, e cujo ventre enches do teu tesouro oculto. Estão fartos de filhos e dão os seus sobejos às suas crianças.
15 Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça; eu me satisfarei da tua semelhança quando acordar.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

sábado, 23 de junho de 2012

ASSEMBLÉIA DE DEUS REI DAS NAÇÕES: Doa a Quem Doer :Arca da Aliança, levitas, shofar,...

ASSEMBLÉIA DE DEUS REI DAS NAÇÕES: Doa a Quem Doer :Arca da Aliança, levitas, shofar,...: Por falar em elementos estranhos ao culto cristão, como danças e adoração “extravagante”, lembramos de outras “inovações” baseadas em “...

A NOVA JERUSALEM

"A terra é um lugar maravilhoso. Seus encantos são, por vezes, irresistíveis. Nossa alma, porém, suspira pela casa que Jesus nos foi preparar. E sabemos que ela é real. Por iso não temos de esmorecer. A caminho de Sião, tiremos forças da fraqueza e não nos amedrontemos com a noite mais escura. Pois a última vigília logo passará. E o Sol da Justiça já se espraia sobre os romeiros do Senhor".

"A Nova Jerusalém foi preparada por Deus para abrigar todos os santos. O seu Arquiteto é p próprio Deus. Sua simetria, tamanho, perfeição e beleza refletem não somente sua glória, mas seu inigualável amor".

Transcrito da Revista EBD 2º trimestre 2012/Liçao 13.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

ASSEMBLEIA DE DEUS TRADICIONAL NO AMAZONAS ULTRAPASSA AS FRONTEIRAS

Santarém-Pará
Os Pastores Nasson Camara e Jorge Félix em visita pastoral
 Conhecendo as belezas de Alter do Chão - Santarém-PA
Belterra-PA
BR-Santaém/Cuiabá
Comunidade Amparo/Santarém-PA
Comunidade Tabocal/Santarém-PA